28/02/2016

Pedal em Urucará

"Denominação de `Urucará`, provém da fusão de dois vocábulos indígenas:`Uru` e `Cará`, que significam respectivamente `cesto de palha` e `inhame`. (extraído do Wilkipedia: https://pt.wikipedia.org/wiki/Urucara).

Fugindo à regra de pedalar sempre na parte da manhã resolvemos iniciar o "pedal" do sábado (27/02/2016) após o almoço. O trajeto escolhido para a grande maioria do grupo foi inédito, apesar de localizado nas proximidades da nossa Capital.

A comunidade de Urucará fica localizada no Município de Arez e tem como principal características os extensos canaviais, trechos de matas e a represa como o mesmo nome do lugar. 
Para evitar pedalar durante a noite optamos por deixar os carros em São José de Mipibu, nas proximidades da Pousada do Macedo (84-32732325) e saímos às 14h15min pelo acostamento da BR 101, sentido sul. Logo na subida situada na altura do acesso ao Município de Georgino Avelino recebemos pelo rádio a informação do Cabo Dantas acerca de um caminhão bitrem (Trans Rock Stone) que estava subindo e deixando no ar um fedor intenso de gás metano. Para nossa sorte o caminhão parou antes e não fomos afetados, exceto o Cabo que ao alcançar o grupo estava mais amarelo do que chinês após doação de sangue. 
Percorridos uns 8 Km de asfalto, entramos à direita por dentro dos canaviais e logo encontramos um pequeno trecho de areia solta, momento em que minha genitora foi muita referida por alguns ciclistas. Chegamos então a uma pequena pista de pouso de aviões agrícolas, percorrendo-a integralmente, até uma pequena trilha que nos levou à parede da represa de Urucará. No local algumas pessoas da comunidade estavam tomando banho e outras coisas. Fizemos a tradicional foto do grupo e saímos do outro lado da represa, enfrentando uma subidinha que exigiu um pouco de esforço. Não demorou e chegamos ao povoado de Urucará, fazendo uma parada técnica para hidratação na bodega de um senhor bastante "simpático", lembrando um pouco o estilo de seu Lunga. Do lado de fora fiquei conversando com um ciclista da região, Erasmo Carlos, lamentando-se pelo fato de ter caído na tentação de "encher a cara", quando deveria tá pedalando conosco. 


Deixamos Urucará e pedalamos entre a mata e o canavial, desta feita com a areia mais firme. A próxima parada foi na comunidade de Nascença e aqui a hidratação foi com "cremosinho". Descemos por estrada de barro, atravessamos Rio do Meio e chegamos em Dendê, encontrando umas cadeiras e uma churrasqueira debaixo de uma enorme mangueira, local escolhido para reagrupar.
Na saída de Dendê até a BR 101 o trecho permite um downhill espetacular, daqueles que você percebe as vantagens de ter uma bicicleta com suspensão e freios em ordem.



Novamente no asfalto e agora com o vento nas costas. Chegando nas proximidades de São José de Mipibu o sol estava se pondo, proporcionando um visual magnífico, fazendo valer cada metro pedalado naquela tarde.
Na minha opinião o pedal vespertino deve ocorrer mais vezes. Aguardemos agora as manifestações do grupo.
Trajeto total: 37 Km, 2m e 3 palmos. Tempo aproximado 3 horas e 30 minutos.
Quem desejar receber o arquivo do trajeto de hoje é só solicitar via e-mail: rapadurabiker@gmail.com

 






4 comentários:

erimar Dantas disse...

Pedal muito massa e na companhia de bons amigos, parabéns ao amigo Benilton.

Otoniel Othon disse...

Show de pedal. Obviamente teremos outros.

Francisco Lindembergue de Oliveira Freitas Freitas disse...

Pedal tão bom quanto os relatos do mesmo!.

No aguardo da farofada, sugerida por claudinha, às margens da represa urucará.

Jodrian Freitas disse...

Show !!