25/07/2016

Rapaduras de Santana 2016 - 4ª viagem de bicicleta Natal-Caicó

Caros Rapaduras;

Foi a nossa quarta viagem Natal-Caicó para homenagear os festejos de Nossa Senhora de Sant´Ana.
Desta feita saímos do Posto Emaús às 05h45min, seguindo pelas BRs 101/304 até Macaíba. Entramos à esquerda na RN 160 e fizemos nossa primeira parada após 17 Km, no Baobá de Jundiaí. Todo mundo animado, pedalando ritmado, seguimos viagem pela rodovia. Mais adiante, aproveitando uma sombra de uma igrejinha na comunidade de Cana Brava, fizemos nossa primeira parada de apoio e tivemos a oportunidade de conhecer o primeiro produto orgânico da Macadâmia, empreendimento do nosso amigo Paulo Victor, que escolheu nosso grupo para experimentar deliciosos alimentos preparados para quem pratica atividades esportivas e curte uma comida saudável, sem glúten/lactose e forte teor de energia. Em breve os produtos estarão sendo comercializados e por enquanto quem tiver interesse em conhecer é só manter contato via WhatsApp (Paulo Victor (84)98811-1110).
Energizados e motivados entramos à direita na RN 315, passamos por Traíras e fomos até o final do asfalto, iniciando o trecho de trilha, programado para evitar as obras na Reta Tabajara, diminuindo assim os riscos no trânsito. Pedalamos cerca de 11 Km em trecho arenoso e alcançamos o Sítio de Dona Alice (vó da nossa colega Juliana Cantero), local em que fomos recepcionados com um café da manhã que nos fez esquecer todas as agruras do trajeto. Com muita luta conseguimos deixar o lugar, mas tínhamos ainda uns 8 Km de areia pela frente, desta vez com a companhia de Flávio Cabelinho, que tinha ido antes para matar o bode, extrair os ovos das galinhas, fazer os sucos, coar o café, tirar o leite da vaca e fazer o cuscuz, tudo pensando no bem estar do grupo. 
Saímos de buchos cheios, debaixo de um sol escaldante e foi um alívio quando avistamos o asfalto da BR 226. Ouvi alguns comentários entre os ciclistas acerca de qual o nome mais adequado para batizar o trecho de trilha. Uns mencionaram Trilha Dona Inês (homenagem a minha mãe que foi muito lembrada durante o trajeto). Outros sugeriram Trilha do Arroz (em razão de uma plantação de arroz que foi vista na região. Confesso que não vi. Acho que foi mais o pessoal da Vassoura).
No caminho até Serra Caiada uma pequena parada na entrada de Elói de Souza para reagrupar. Ali encontramos o Pinto (Alexandre), cujo destino era Cruzeta para encontrar os Rapaduras Peregrinos. Foi logo avisando: "Se Helena não chegar na hora marcada vou atravessar a rua e dormir no cabaré".
Adentramos à cidade de Serra Caiada por volta de 11h30min, seguindo direto para a residência de nossa amiga Neta (a Fôia), que já nos esperava com familiares e amigos. Mais uma vez fomos brindados com muito suco, cocada, sanduíches, frutas e os ovinhos de Paulo Victor, mais um produto orgânico da Macadâmia. Deitamos no alpendre da casa, esperamos o sol baixar um pouco e deixamos o lugar com a maior preguiça.
A próxima parada foi em Tangará. Hidratação rápida e prosseguimento para enfrentar os 30 Km restantes. Nas proximidades do assentamento (cerca de 15 Km de Tangará) fizemos uma parada para reagrupar e encontramos nosso colega Marcelo, vindo de mais um dia de trabalho. Aproveitamos também para um banho gostoso no chafariz existente na comunidade.
O sino da igreja badalava distante quando entramos em Santa Cruz, algo em torno de 16h30min. Fizemos a tradicional foto da chegada e seguimos direto ao local de hospedagem (pousada Nova Aliança). O ponto de encontro foi o Bar do Galo, já tradicional local de resenhas dos Rapaduras de Santana. O momento agora foi para relaxar e a pedida principal foi tripa de porco, pois além de ser saborosa, a camada de sebo que fica armazenada no céu da boca serve para lubrificar a corrente da bicicleta no restante do trajeto.
Quando nos encaminhávamos para o Bar do Galo ouvimos uma incessante e insistente sirene anunciando a chegada de Alexandre Coveiro, ciclista de Carnaúba dos Dantas, que montou uma estação de rádio móvel em sua bicicleta (Bravo Charlie) e veio juntar-se aos Rapaduras. Cada integrante do grupo que chegava ao estabelecimento era saudado pelo locutor da Araponga.
A dormida foi tranquila e dessa vez não tivemos nenhum registro de intercorrências, talvez por ser época de defeso do suné em Santa Cruz do Inharé.
O segundo dia chegou e já estávamos no café da manhã da Panificadora Elite quando recebemos a visita do Frango Bom Todo (Fabinho), mais arrumado do que sacristão em dia de procissão. Cabelo puxado na brilhantina borora e todo perfumado no cacharel. Fizemos a foto da largada e deixamos Santa Cruz para mais uma perna da viagem.
No pé da Serra do Doutor (17 Km de Santa Cruz) fizemos uma parada para reagrupar e abastecimento com água, gelo e frutas, deixando todo mundo com mais disposição para encarar a subida. Chegamos no cume em grande estilo e o destaque foi para Erimar (Cabo TPM) pedalando a Bravo Charlie, devidamente escoltado por mim, Cabelinho do Bode e Alexandre Coveiro. Cláudia Celi gravou tudo em vídeo e fez até a locução. Se eu encontrar eu posto aqui.
A entrada em Currais Novos foi na maior "quentura" do mundo. Foi o maior alívio entrar na Churrascaria São Sebastião e aproveitar o ambiente climatizado. Mais uma vez o atendimento impecável, com comida boa e preço justo. 
Além do calor intenso outro fator contribuiu para sairmos mais tarde de Currais Novos. Houve um protesto de motociclistas, fechando as pontes da entrada e da saída da cidade, incendiando pneus e atravancando todo trânsito. Basta dizer que na saída para Acari tivemos que literalmente transpor o bloqueio, ao passo que os carros de apoio foram forçados a pegar um atalho por uma antiga estrada.
O trecho até Acari foi marcado pelo mormaço e pneus furados. Outro registro digno de nota foi a acentuada consciência ecológica de Doutor Othon. Saibam vocês que o nosso especialista em arrancar dente queixar ficou demasiadamente tocado com o processo de desertificação do Seridó e resolveu sair adubando tudo que era pé de algaroba no caminho, deixando a região toda fertilizada.
Em Acari fomos recepcionados por um grupo de radioamadores, os quais cuidaram de deixar o vendedor de picolé de prontidão, permitindo assim um "refresco" na viagem.
A próxima parada foi na Serra da Rajada (entrada de Carnaúba dos Dantas e Parelhas) e ali abastecemos nossas garrafinhas para enfrentar os quilômetros restantes até Jardim do Seridó.
Chegamos em Jardim por volta das 17h00min e como sempre fomos fazer a assepsia capilar com Zé Leite, o barbeiro mais tradicional da cidade. A noite fomos jantar na Rua do Canal e no retorno ao hotel ainda tivemos uma rápida noite de vinhos e queijos, somente interrompida pelo fato das duas garrafas trazidas por Doutora Vera Lúcia terem "evaporado" rapidamente. Registro, no entanto, os esforços de Cabelinho do Bode e Marcos Charuto procurando nas adegas de Jardim do Seridó algum vinho digno de consumo, mas achando somente San Marino e Padre Cícero da safra 2016. Se ao menos fossem de 2015 ainda teríamos coragem de encarar. 
Às 07h20min deixamos Jardim do Seridó e dava gosto de ver o azul das camisas dos Rapaduras de Santana contrastando com o cinza da caatinga. Agora, além da companhia de Alexandre Coveiro, contamos também com a presença de Virna Holanda, ciclista caicoense, que veio juntar-se ao grupo.
Pedalamos todos muito bem e chegamos em Caicó antes das 09h30min, sendo recepcionados na entrada pela Família Paraú e por parentes de Rossana Guessa. Fizemos os devidos agradecimentos, brindamos com água nossa chegada e seguimos no rumo da ASSEC, local em que nos juntamos aos demais ciclistas e fomos em cicloromaria à Catedral de Sant´Ana para recebermos as bençãos do Bispo de Caicó. No pátio da igreja tivemos a satisfação de encontrar com a Garota Molhada do Rapadura Biker (Marice), que sempre nos recebe com um caloroso abraço, seu Bira (pai de Uila), Doutor Eloísio (amigo de Verinha e Juninho) e com os Rapaduras Peregrinos, estes adentrando o oitão no exato momento em que Claudia Celi expressava as palavras de agradecimento em nome dos ciclistas. Foi tudo muito emocionante.
Após as bençãos voltamos à ASSEC, almoçamos e tomamos o rumo de casa.
É isso, mas uma viagem de sucesso do Grupo Rapadura Biker. 
Ciclistas que participaram: (Álvaro, Alzinália, Bené (carro de apoio) Benilton, Berg, Carlson, Claudia Celi (carro de apoio), Eduardo Campos, Erimar, Flávio Abeane, Gislaine, Graco, Josias, Juninho, Marcos Costa, Márcio Diógenes, Milena, Neto Palhares, Othon, Patrícia, Rochinha, Rossana Guessa, Suzy, Serginho, Uilamy e Wagner) Juntaram-se ao grupo ad referendum da "Deretoria": Aline, Alexandre (apoio) e Wolney.
Reunião preparatória no dia 20 de julho de 2016.

Saída do Posto Emaús em 22 de julho de 2016.

Baobá de Jundiaí.

Igrejinha em Cana Brava.

Café da manhã no Sítio de Dona Alice.

Lanche em Serra Caiada.

Serra Caiada.

Chegada em Santa Cruz.

Parada do apoio na BR 226 - casa de Dona Suzete.

Na estrada.

Currais Novos pegando fogo.

Serra da Rajada.

Chegando em Jardim do Seridó.

Por do sol no Seridó.

Tradicional serviço de barbeiro com o senhor Zé Leite.

Saída em Jardim do Seridó.

Na Matriz de Sant´Ana.

Chegada na ASSEC.

Almoço na ASSEC.

Retorno na van de Wagner Marcelino.

Bando de Rapaduras invadindo o Caicó.
Agradecimentos:
Riograndense Distribuidora (patrocínio das camisas dos Rapaduras de Santana)
Radiocom (disponibilização dos rádios de comunicação para os carros de apoio)
Verona Veículos (disponibilização de carro de apoio)
Macadâmia (disponibilização de lanches orgânicos durante o trajeto)
Clínica Santa Clara (disponibilização de protetores solares durante o trajeto)
Gato do Mato - Estúdio de Animação (criação da arte da camisa Rapaduras de Santana) www.fb.com/gatodomatoestudio
Grupo Guaraves - Frango Bom Todo (transporte das camisas)
Printing Company (disponibilização de adesivos para ciclistas e carros de apoio)
Equipe de Apoio (Claudia Celi, Bené, Doutora Vera Lúcia, Mariane, Paulo Victor e Alexandre)
Família de Juliana Cantero/Cabelinho (café da manhã em Bom Jesus)
Neta (Fôia) e família (lanche em Serra Caiada
Pousada Nova Aliança (Santa Cruz)
Bar do Galo (Santa Cruz)
Hotel Conceição Palace (Jardim do Seridó)
Virna Holanda (apoio na chegada em Caicó)
ASSEC (disponibilização da sede para receber os ciclistas)
Wagner Marcelino e Karina (eficiência no transfer de retorno).

6 comentários:

  1. Tudo muito perfeito e de alto padrão, parabéns ao casal Benilton e Cláudia por se dispôr em organizar este magnífico pedal.

    ResponderExcluir
  2. Parece que, agora sim... terminou o Pedal de Sant'Ana! Depois desse relato, até quem não teve oportunidade de ir, se juntou a esse grupo durante a leitura. Um agradecimento a mais...ainda é muito pouco para o empenho, esforço e determinação desse casal que lidera esse grupo, e os que foram a reunião prévia do pedal, puderam perceber o que digo. Parabéns Benilton e Cláudia. ... sem tb deixar de estender o reconhecimento de vários outros RB's que ajudaram e que não cito por medo de esquecer alguém é ser injusto. Mais uma vez meu muito obrigado agora a todos que participaram e fazem parte dessa família, esperando poder participar com todos vcs, por muitos outros Pedais de Sant'Ana.

    ResponderExcluir
  3. Gostaria muito de agradecer à todos do Rapadura, especialmente a Benilton e Claudia. Vocês mostraram a verdadeira família Rapadura. Povo do bem, companheiros, incentivadores. Pedalar 300 km ao lado de vocês foi simplesmente sensacional. Obrigado a todos vocês pela paciência comigo e pela preocupação em todo o trajeto. DEIXO AQUI O MEU ABRAÇO À TODOS!!!!!

    ResponderExcluir