24/07/2011

Indo ao trabalho de bicicleta

Tenho procurado fazer da bicicleta algo mais do que um simples instrumento de lazer, incorporando-a ao meu estilo de vida gradativamente.
Um passo que já vinha sendo estudado começou hoje (24/07/2011) a ser concretizado. Fui ao trabalho de bicicleta e gostaria de compartilhar com os seguidores como foi a minha experiência.
Optei por iniciar especialmente hoje por alguns motivos: dia de domingo, com menos trânsito; tempo limpo, sem previsão de chuva; e o local do plantão ser no Bairro de Lagoa Nova, ou seja, a metade do caminho que faço de carro todos os dias até a Zona Norte de Natal-RN.
Elaborei um roteiro na minha mente, priorizando ruas com pouco movimento, asfaltadas e evitando subidas desnecessárias.
O primeiro desafio foi selecionar a roupa a ser utilizada, pois no caso específico de hoje sabia que não contaria com um local para banho. Escolhi uma camisa de secagem rápida e por debaixo da calça jeans uma "cueca" com alcochoado que vende lá na Terral.
Feito isso foi a vez de selecionar o material de trabalho: notebook, pen driver, hd externo etc. Surgiu uma dúvida entre arrumar no bagageiro da bicicleta ou na mochila presa ao corpo. Em caráter excepcional escolhi a segunda opção, tendo em conta a distância pequena a ser percorrida. Foi de fato a melhor escolha, pois peguei muita trepidação (ruas de calçamento e esburacadas) o que poderia afetar o notebook.
Gastei cerca de trinta minutos de Nova Parnamirim até Lagoa Nova e esperava chegar um pouco mais suado, mas não aconteceu.
Desci da bicicleta, em poucos segundos dobrei-a e guardei-a dentro de uma capa específica, ficando somente o selim à vista. Entrei no prédio e as pessoas ficaram sem entender. Achavam que eu estava chegando de viagem. É sensacional o uso da bicicleta dobrável. É um instrumento que deveria ter um custo menor, pois  facilita muito a vida de quem precisa da bicicleta pra pronto uso. Além da praticidade de você guardar em qualquer lugar, é muito confortável de pedalar.
Quem estava de plantão também era Rosivaldo, que já pedalou muito conosco na Rota do Sol. Ao ver a bicicleta não resistiu e deu uma voltinha. Pelo jeito ele gostou.
Essa semana vou intensificar o meu projeto e irei até o meu trabalho na Zona Norte. Vou gravar todo o percurso, mostrando como é enfrentar o trânsito de bicicleta.
Aguardem cartas e por enquanto fiquem com a foto do meu mais novo instrumento de trabalho.
Postar um comentário