23/10/2011

"I Volta de Santumé": Preparativos

A "I Volta de Santumé" é mais um sonho de um ciclista que estou vivenciando e ofertando uma pequena colaboração para sua consumação. Estou falando de André, ou simplesmente "Zé", como chamam os parentes e amigos mais chegados da cidade de São Tomé-RN. Desde que o conheci em janeiro de 2011 ele revelou o seu desejo de fazer uma "ciclovolta" na região da sua cidade, passando pelos Municípios vizinhos, subindo e descendo as diversas serras que compõem o relevo da região e retomando caminhos feitos na sua juventude. Acentuou também que o seu plano era fazer o caminho na companhia de outros ciclistas, dividindo assim o seu sonho.
No mês de julho fizemos uma visita a São Tomé (vide postagem no mês respectivo)  e ali tivemos um contato com o Prfeito da cidade, Babá, que foi muito receptivo e disse que tinha total interesse em apoiar o evento, indicando como data provável o final de outubro, coincidindo com o aniversário da cidade.Ficou acertado que seria nos dias 29 e 30 de outubro.
Formamos uma comissão (André, Alícia, Fabiano, Vitória Régia, Claudia Celi e eu) e redigimos um projeto intitulado "I Volta de Santumé". Algumas reuniões, troca de informações na internet, novo encontro com o Prefeito aqui em Natal (contamos com as presenças de Neide e Pedro Brito) e definimos uma programação (vide post específico).
Entendemos como essencial a presença de André em todas as atividades dos dias 29 e 30, pois ele foi o idealizador do evento, constituindo-se na principal peça da "I Volta de Santumé". Traçamos então a seguinte estratégia: nos dias 22, 23 e 24 de outubro André e um pequeno grupo faria a "ciclovolta" de aproximadamente 180 Km, possibilitando assim a coleta de material (fotos e vídeos) para criação de um pequeno filme a ser apresentado no próximo dia 29 de outubro de 2011 durante a programação da "I Volta de Santumé".
Assim sendo sai de Natal ontem às 05h00min na companhia de Evandro (Bebê) e seguimos até São Tomé para nos juntarmos a André e os demais cicilistas que toparam acompanhá-lo na empreitada. No caminho, nas proximidades de Barcelona-RN quem nos aguardava era seu Francisco, ciclista de sessenta e um anos de idade, que já pedala há muito tempo e é um profundo conhecedor das trilhas da região. O homem é uma figura e uma excelente companhia nas pedaladas, sem falar que tem um gás incrível, "dando couro" em muito ciclista novo. Chegamos em São Tomé e encontramos André, Jadson e Vitória Régia. Não demorou muito e dois ciclistas da cidade, Ademilton e Josivaldo, vieram integrar o grupo. Mais um tempinho quem chegou foi  Fabiano, William e Alícia, fechando assim o grupo de dez ciclistas, pois Alícia resolveu que não iria pedalar hoje.
Tomamos café e fomos até a Escola Amaro Cavalcanti, lugar onde André iniciou seus estudos. Ali foi o ponto de partida quando ele era criança e agora estava sendo o ponto inicial da realização de um sonho. Na calçada da escola fomos recebidos pela Diretora da escola que nos dirigiu algumas palavras de incentivo. André falou, sendo acompanhado por Vitória Régia.
Iniciamos a trilha e seguimos por 12 Km de estrada do mais puro arisco. De um lado e do outro a vegetação é a caatinga. Apesar de ser primavera a sensação é que estamos em pleno verão. Tudo seco e esturricado: xique-xique, macambira, jurema, juazeiro e muita pedra. Nesse ponto Vitória Régia resolveu voltar. Seguimos então em nove.
Iniciamos a subida da serra da Gameleira e lá no alto sentimos a hospitalidade do povo da região. Ao passarmos por uma casa ouvimos um chamamento de um homem  nos oferecendo água gelada. Ele foi tão insisitente (no bom sentido) que resolvemos (eu, Jadson e William) aceitar o convite, tendo Fabiano que já ia lá na frente, voltado para juntar-se a nós. O homem é seu Tota, esposo de Dona Soledade (Sulinha) e abriram as portas da casa para nós. Tomamos uma água extremamente gelada, ganhamos um saco de solda branca e ainda um convite para o almoço. "A panela tá cheia", disse seu Tota. Agradecemos e seguimos o caminho.
Ainda na serra da Gameleira paramos para chupar dindin de biscoito vendido em uma casinha humilde. Ali fomos recebidos por uma menininha chamada Giovana e ficamos encantados com a sua desenvoltura. Ficamos felizes em saber que ela estuda e que tem sonhos para o futuro.
Dali em diante começamos um trecho muito difícil. Trilha estreita e tome subida. No caminho encontramos uma enorme caixa d´água com a torneira aberta e água fria jorrando. Foi um verdadeiro alívio. Um dos melhores banhos que já tomei na vida.
Seguimos o trajeto e iniciamos a descida da serra. Foi intenso!!!
Chegamos por volta das 13h00min ao ponto de apoio no pé da serra do Tigre onde já éramos aguardados com água, gelo e frutas. Até aqui tínhamos pedalado quase 38 Km. Nesse ponto voltei com Evandro e os dois ciclistas de São Tomé, pois a bicicleta de um deles quebrou.

Agora, 21h15min, acabei de falar por telefone com Fabiano que também teve que voltar hoje a Natal. Ele disse que deixou o grupo no Ingá de Raul e já pedalaram aproximadamente 100 Km. A volta tá perto de ser feita.
Valeu André. Continue correndo atrás dos seus sonhos.