01/10/2012

3º Pedal do Banana Biker - Bananeiras-PB - setembro de 2012


No último dia 30 de setembro os Rapaduras participaram em Bananeiras-PB do 3º Pedal do Grupo Banana Biker, capitaneado pelo colega Fernando Amaral com o total apoio dos seus familiares (Mercinha, Fernandinho, Thereza e Paulo Ivo), dos amigos (Adriana, Wanderléia, Juliana, Ivson Danilo e outros).
Cheguei na 5ª feira (27/09/2012) e na 6ª resolvi conhecer o trajeto, sendo que fazendo no sentido inverso. Foi mais uma trilha para somar entre as várias que a região de Bananeiras disponibiliza aos ciclistas. Ali percebi que a região está muito seca e a temperatura seria o principal oponente no pedal do domingo. 
De Natal vieram os demais Rapaduras (Claudia Celi, Evandro, Celita, Quinino, Naldo, Adriana, Abeane e Juliana). Ausências justificadas de Bené, Júnior Verona e Cabo Dantas. Troféu de Maior Arregão para Hiram Lima. No sábado pela manhã fizemos um "aquecimento", tomando um banho de piscina, experimentando umas cervejas diferentes, comendo picado com farofa e colocando o assunto em dia. A conversa tomou conta da tarde, entrou pela noite e somente não foi além em razão de um ato terrorista: arranharam o meu cd do Raça Negra que somente tinha tocado 75 vezes naquele dia.
No domingo acordamos cedo e seguimos para o ponto de concentração, a praça central ao lado da rodoviária. Ali chegamos e já encontramos o pessoal da organização com uma tenda montada e o café da manhã já pronto para ser degustado. Aos poucos os ciclistas foram chegando e logo a praça estava tomada pelo azul da camisa do Banana Biker. Identificamos ciclistas de várias cidades, dentre as quais Campina Grande, João Pessoa, Belém, Solânea, Japi, Juripiranga, Alagoinha, Guarabira, Patos, dentre outras. Na praça encontramos também André Medeiros, que para variar veio de Natal pedalando. Enfim, uma verdadeira festa de confraternização, encontrando antigos amigos e fazendo novas amizades.
Após o café da manhã (por sinal muito farto e variado), tivemos algumas palavras proferidas por Ivson Danilo, dando as boas vindas e informando como seria o trajeto. Ao seu lado um animado comunicador no carro de som transmitia alegria e força a todos os ciclistas, dizendo que tudo seria muito "legal" e anunciando a presença do Grupo de Ciclismo Unidos pelo Aro. Aproveitamos inclusive para procurar os integrantes para fazermos tratativas de uma franquia do grupo em Natal, pois com certeza não vai faltar aro.
 O pedal largou com um razoável mas justificado atraso. A organização pensou em tudo (guias de bicicleta, guias de motocicleta, ambulância, carros de apoio, ônibus e apoio da guarda municipal para regular o trânsito nas vias urbanas). 
Saímos e já encontramos a primeira subida (a primeira de muitas), passando em frente à antiga estação ferroviária, local em que encontramos Evandro e Celita. Ali soubemos que eles não iram nos acompanhar, pois Evandro teve um desarranjo intestinal e passou a noite toda igual aquela banda gospel "Diante do Trono". O homem chega estava com o rosto mufino, mas sua opção foi a mais correta, pois pedalar naquele estado não seria nada inteligente. A única vantagem seria que ele adubaria as plantações de banana até o final do ano.
Deixamos a zona urbana e subimos passando por cima do túnel. Até aqui a temperatura ainda estava suportável.
Iniciamos uma sequência de descidas muito convidativas, vendo lá embaixo a igrejinha da comunidade de Brejinho, passando em seguida no Sítio Mijônia (não me pergunte qual a origem do nome que eu não sei) e atingindo a Vila Maia, local do primeiro ponto de hidratação, com direito a água de côco, leite, água, gelo, frutas e a participação especial do carro de som, continuando a anunciar que tudo estava "legal". 
De Vila Maia até Roma tivemos outra sequência de descidas e subidas bastante íngremes. Nesse ponto a temperatura estava muito alta e os carros de apoio começaram a ser utilizados. 
Antes de Roma passamos em frente ao casarão de Solon de Lucena e tivemos outro ponto de hidratação. Depois de abastecidos seguimos pelo calçamento no rumo do Cruzeiro de Roma. Não demorou muito e o carro de apoio dirigido por mim ficou com a lotação esgotada. Algumas reclamavam de cãimbras e outros do calor intenso mesclado com as subidas "legais".
Quando me aproximei da parte baixa do Cruzeiro encontrei uma galera de ciclistas acabando com o estoque de cerveja de uma bodega. Era a turma do Pedal TotalFlex, uns cabras de Campina Grande que tem muito a ver com o Rapadura Biker, ou seja, sabem pedalar se divertindo. Parei perto deles e logo me foi oferecida uma cerveja. Aceitei para não ser mal educado. Começou então uma sintonia que durou por vários quilômetros, pois como tinha uma caixa térmica dentro do carro enchi com todo o estoque da bodega e passei a acompanhá-los mais de perto, hidratando-os nos pontos mais críticos.
Quando iniciamos a trilha da barragem encontramos um açude e o pessoal do TotalFlex caiu de cara, sendo seguido por vários ciclistas.
Continuamos subindo e o calor somente aumentava. Por volta das 11h00min já chegamos na parte alta da serra e dali até o último ponto de apoio foi um pulo. Fiquei um pouco atrás para apoiar o pessoal do TotalFlex, mas quando os homens encontraram um barzinho com um sanfoneiro e tira gosto de buchada vi que era hora de seguir meu caminho, pois o negócio ali ainda ia muito longe.
Chegamos ao último ponto de hidratação na Chã do Lindolfo e dali somente restava a descida até o local do almoço, o Eco Spazzio. Ali fomos recebidos pelo sanfoneiro Zizi e seus cabras da peste, tocando o legítimo forró pé de serra, enquanto todo mundo almoçava uma comida novamente farta e deliciosa.
Foi mais um pedal excelente, deixando claro que a cada dia o padrão tem melhorado e que o nosso esporte/lazer é um instrumento agregador de valores, incrementando a economia do Município e possibilitando a formação de uma rede de contato entre os ciclistas.
Parabéns aos organizadores e a todos aqueles que participaram do pedal. Para os que não foram deixo aqui  algumas fotos para se deliciarem.
P.S.: Logo estaremos iniciando as inscrições para a franquia do Unidos pelo Aro em Natal.
Trajeto de 43 Km.
Preparativos para o café da manhã.
Equipe organizadora.
Alimentando as lombrigas.
Hora da saída.
Parte da galera do Rapadura Biker.
Naldo e Adriana.
Claudia Celi e Quinino.
Banho de açude para refrescar.
Galera da "elite".
A importância da cerveja no processo.
Carro de apoio lotado.
Galera do Pedal TotalFlex.
No meio do caminho tinha uma buchada, tinha uma buchada...





3 comentários:

  1. Muito bom as fotos! Em breve estarei publicando as fotos em meu blog, da minha turma JURIBIKE. Acessem! http://juribikepb.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Tivemos tudo e muito mais do que se espera em um evento como esse, a camisa ficou muito bonita, o trajeto com suas paisagens estonteantes nos fazia quebrar a cadencia para fotos, a simpatia dos participantes nos proporcionaram muitas gargalhadas além do mais muito profissionalismo no apoio que por todo o percurso e sempre devidamente posicionados nos ofereceram mesas fartas, resumindo foi ☆☆☆☆☆, um excelente pedal em todos os sentidos, parabéns a Fernando Amaral e toda a equipe do Banana Biker, que venham os próximos.

    ResponderExcluir
  3. Unidos pelo Aro - João Pessoa - PB2 de outubro de 2012 08:32

    Olá Pessoal! "Unidos pelo Aro" de João Pessoa vem puxado pelo Sr. Pires (todos conhecem - o veim pedal muito, deixa muito moleque pra trás), depois vem o Aro maior - Cacau, Wagner que nos tira do prego, Gustavo (barriguinha), Mago Rogério (punho quebrado), Fábio Caninha (não preciso dizer pq) e nosso Amigo de Bananeiras Max que tá pensando em entrar para o grupo... Quando for lançado "Unidos pelo Aro" Natal, favor entrar em contato através do Blog Pedalar em Bananeiras - abraços a todos!

    ResponderExcluir