12/10/2014

Estórias dos Rapaduras: Sargento Rodinha e Cabo Catraca.

AS AVENTURAS DO SARGENTO RODINHA E DO CABO CATRACA

Localizado a aproximadamente oito milhões de quilômetros da Terra fica uma pequeno planeta batizado pelos cientistas de Rapahard. A população não é muito grande e provavelmente por causa disso os seus habitantes são bastante próximos.

O único meio de transporte existente é a bicicleta e as pessoas utilizam esse veículo para tudo que fazem: trabalho, escola, compras, lazer, enfim todos os deslocamentos. Talvez por esse motivo os moradores de Rapahard são possuidores de excelente saúde e ótimas condições físicas, exceto por alguns que insistem em manter uma barriguinha de estimação.

Dentre os habitantes do lugar dois deles estão sempre em destaque, pois passam vinte e três horas do dia arengando e a outra hora restante pensando em um motivo para azucrinar a vida do outro. Seus nomes são Sargento Rodinha e Cabo Catraca e ambos são responsáveis pelo Ministério da Vassoura de Rapahard, serviço dos mais nobres e importantes, pois é deles a responsabilidade de não deixar nenhum habitante abandonado, principalmente nas grandes viagens.

Diz a lenda que o Sargento Rodinha e Cabo Catraca sempre estiveram muito juntos, principalmente quando existia alguma mesa com comida perto deles. A mesma lenda revela que o Ministério da Vassoura foi inicialmente comandado pelo Cabo Catraca, mas com a chegada do Sargento Rodinha as coisas mudaram, tendo este assumido aos poucos a função, aproveitando-se principalmente de uma viagem do Cabo Catraca para fazer turismo em um planeta chamado Fortaleza. Com o afastamento temporário de Catraca, Rodinha foi cativando as pessoas com sua conversa fácil, de modo que em pouco tempo assumiu o Ministério da Vassoura.

Não satisfeito por ter perdido a sua nobre posição o Cabo Catraca resolveu pregar uma peça no Sargento Rodinha e para tanto pediu o auxílio do Cientista Cabelo e da Perfessora Jurubeba, o primeiro uma espécie de Professor Pardal de Rapahard e a segunda uma excelente cozinheira, cuja especialidade é fazer deliciosas empadas emborrachadas. O plano era simples: sabedores que o Sargento Rodinha é muito conhecido por ser um corredor, já tendo participado de maratonas, inclusive correndo em montanhas, resolveram atingir o ponto fraco dele, convidando-o para comer uma feijoada, previamente temperada com ingredientes secretos que iriam desestabilizar o sistema estomacal de Rodinha, fazendo com que ele parasse a cada cem metros para adubar o planeta. Marcaram então um encontro e prepararam um caldeirão de feijoada, cujo cheiro podia ser sentido a centenas de quilômetros. Nesse dia Rodinha não fugiu à regra e comeu aproximadamente cinco tigelas, somente rejeitando os caroços das laranjas e os gorgulhos da farinha, mas o resto ele colocou tudo para dentro. Enquanto ele comia alegremente, Cabo Catraca, Cabelo e Jurubeba apenas conversavam, querendo saber como estavam os preparativos para a corrida do dia seguinte, assunto que muito interessava ao Sargento Rodinha.

Depois de ter consumido toda feijoada e comido três rapaduras de sobremesa o Sargento Rodinha seguiu seu destino, pois iria correr no dia seguinte uma meia maratona. Assim que ele saiu o Cabo Catraca comentou: acho que essa corrida de amanhã vai deixar muitas marcas.

Amanheceu o dia e Rodinha acordou meio avariado, sentido um leve desconforto no pé da barriga. Teve vontade de soltar um pum, mas não teve coragem, dizendo que era para poupar energia. A corrida começou no horário e Rodinha saiu como sempre na velocidade cinco, passando por todos com a rapidez de um gato maracajá. Não demorou muito e Rodinha começou a sentir um rói-rói na barriga, suando frio e sentindo uma enorme vontade de visitar uma moita. Tomou um gole de água, respirou fundo e continuou correndo, mas o rói-rói somente aumentava. Na primeira subida Rodinha não resistiu e entrou em um terreno baldio, escondendo-se na sombra de um pé de acerola. Fez o serviço e deixou sua marca na terra. Voltou à corrida, mas logo estava de volta procurando outra moita, situação que se repetiu por todo o trajeto.

  Enquanto a corrida se desenvolvia o Cabo Catraca aguardava na linha de chegada, esperando o Sargento Rodinha para presenteá-lo com um tubo de pomada para assadura e um fardo de papel higiênico perfumado e com folha quádrupla. Encontraram-se, trocaram elogios entre si e já ficaram imaginando qual a próxima traquinagem que iriam aprontar. 


Postar um comentário