21/10/2010

Ladeira de Tabatinga


Hoje aproveitamos a luz da lua e fizemos um pedal de 35 Km até a igrejinha da praia de Tabatinga. Fomos onze (Benilton e Claudia, Naldo e Adriana, Luciano, Augusto Pai, Eduardo, Neto, Milton, Othon e Calismério) e ao contrário das outras vezes todos subiram a desafiadora ladeira.
Para quem inicia o pedal na Rota do Sol a primeira subida a ser vencida fica localizada em Pium, voltando para Natal. Foi apelidada pelos ciclistas de "ladeira do viagra" e embora não seja íngreme, é um pouco extensa e "dura" de vencer. De início alguns a evitam e preferem voltar pela contramão, mas depois que acostumam com "viagra" tudo flui.
A segunda subida impactante é a do "Circo de Pirangi". Aqui a extensão não é tanta, mas já é um bom treino. No primeiro dia muitos descem e empurram a bicicleta. Já vi até alguns desistindo no meio e atravessando a para fazer o caminho de volta. Com paciência e perseverança a subida é logo incorporada e vencida com facilidade.
A terceira e na minha opinião a mais desafiadora é a que fizemos hoje: Tabatinga. Estamos acostumados a subi-la de carro e muitas vezes encontramos automóveis "sofrendo" para chegar ao final. De bicicleta então a tarefa é bem mais complicada, pois além da inclinação acentuada o ciclista tem que ter atenção redobrada em razão da ausência de acostamento. É sempre bom verificar se a subida não vai coincidir com a passagem de algum ônibus ou caminhão, pois com estes o espaço para pedalar ficar ínfimo.
Tenho como regra que a ladeira foi feita para subir, pois se não fosse assim a estrada não continuaria. A minha técnica é simples: concentração. Primeiro eu divido mentalmente a ladeira em três partes e assumo o compromisso de vencer cada uma delas. A primeira é a mais fácil, mas a segunda já nem tanto, principalmente pelo fato da inclinação tornar-se mais acentuada. A terceira para mim começa quando chego ao local que tem um resto de concreto impregnado no asfalto. Nesse ponto já me considero no topo e começo a imaginar que estou vendo golfinhos.
Lá em cima o visual compensa o esforço e se for numa noite de luar como hoje, resta tão somente tomar uns goles de água, respirar fundo e dizer bem alto para si mesmo: "Tudo vale a pena se a alma não é pequena".
Obrigado pela companhia agradável no pedal de hoje. Parabéns aqueles que venceram pela primeira vez a "Ladeira de Tabatinga".
Postar um comentário