30/10/2010

Você já ouviu falar na Lagoa de Araunu?


Tenho repetido até de forma abusiva que o ciclismo abriu para mim novos horizontes.
Dentre tantas descobertas uma das que considero mais interessantes é a possibilidade de conhecer novos lugares, muitas vezes tão próximos, mas que nunca sequer ouvimos falar.
O pedal de hoje teve como ponto de partida o Município de Nísia Floresta/RN, que é uma região muito rica para quem gosta atividades em contato direto com a natureza. Ali estão situadas dezenas de lagoas, cada uma mas bonita do que a outra.
A sede da cidade tem plantado em seu centro um dos enormes baobás do nosso Estado. Se você segue um pouco em direção ao litoral sul vai encontrar logo na saída da cidade o túmulo de Nísia Floresta, uma mulher que rompeu diversos paradigmas em sua época.
Saímos da cidade às 06h20min, deixando para trás a Igreja Matriz e uma praça ampla e aparentemente bem cuidada.
Fomos no sentido da BR 101 e logo na saída da cidade dobramos à esquerda e iniciamos um pequeno trecho de calçamento, que logo termina para oferecer lugar a um trecho de barro branco, cheio de "costelinhas". Quem não tiver montado em uma boa sela e não for equipado com uma boa suspensão, certamente vai reclamar um pouquinho. Passamos por duas pequenas pontes de madeira e ao nosso lado detectamos diversos viveiros de camarões. Serginho não se conteve e exclamou: será que isso tá certo!!! É camarão demais cara!!!
Em pouco tempo alcançamos a RN 002 e seguimos à direita no sentido da BR 101. Logo na entrada do distrito de Golandim saímos do asfalto e pedalamos por um pequeno trecho de calçamento e em seguida começa uma "subidinha" no barro. Aqui já inicia o canavial, tanto de um lado como do outro. Terminou o barro durinho e a areia fica mais fofa. Impossível pedalar. Descemos das bikes e empurramos por aproximadamente 300 metros. Mais adiante um estradão de barro vermelho e tome canavial.
Durante todo o trajeto no meio do canavial não encontramos nenhum ser humano trabalhando na cana e de imediato alguém lembrou que o processo de mecanização já é de aproximadamente 75 %. Fiquei imaginando qual o destino dessa mão de obra: migrando para as cidades maiores buscando emprego na construção civil ou ficando em casa e fazendo uso dos "adjuntórios" governamentais.
Passamos por áreas de reserva florestal no meio dos canaviais e ali constatamos como era bonito o nosso jardim.
Por volta de 08h00min entramos em Arez pelos fundos, saindo por trás do Cemitério. Quem quiser conhecer um pouco mais da história do lugar é só seguir o link: http://www.ubern.org.br/?p=461
Saímos da cidade em busca da Lagoa de Araunu e apesar das belas paisagens que desfrutamos chamou atenção a quantidade de lixo no entorno da cidade de Arez. É incrível quanto plástico preso na vegetação e o mau cheiro que insiste em mostrar a presença do homem e sua má educação.
Paramos em um "cruzeiro" e dali já avistamos a Lagoa de Araunu. Passamos ao lado e seguimos caminho por trilha.
Chegamos então a um trecho muito legal, um single track inusitado até o distrito de Carnaubas. Para nossa decepção encontramos no término um verdadeiro lixão a céu aberto e aqui o fedor é ainda mais intenso.
Voltamos ao asfalto pela RN 002 e após Currais voltamos para o barro branco e logo chegamos em Nísia Floresta. Fomos direto para o banho de bica e depois um caldo de cana com pastel na rodoviária.
O total do trajeto foi de aproximadamente 37 Km vencidos em 03 horas.
Voltamos para casa acho que todos felizes, entretanto, o sentimento de existe um descaso com a mãe terra parece que foi unânime.