17/01/2012

Pedal das Praias Potiguares 2012: 6º dia – Ponta do Mel – Tibau – 57 Km.

Caros Rapaduras:

Acredito que a Costa Branca ainda é pouco conhecida de muitos potiguares, principalmente os que moram aqui pras bandas de Natal. É um local lindo e suas praias ainda estão livres do urbanismo exagerado. Dormir na Ponta do Mel foi revigorante, exceto pela areia impregnada dentro dos ouvidos no dia seguinte.
Quem chegou logo cedo foi Renato Magalhães e Alex Polary. O primeiro veio para nos acompanhar durante o último dia da viagem e o segundo teve que voltar para trabalhar em Mossoró, mas saiu com uma vontade medonha de pedalar conosco. Por falar em Renato Magalhães quero dizer a todos que desde priscas eras já o conhecia. Sempre o chamei de Magal e agora, depois de pedalar quase todo litoral do RN ao nosso lado vamos batizá-lo de “Magal das Praias”, que não tem nada a ver com aquele cantor cearense intérprete do clássico: “ela me traiu usando o resto das camisinhas”.
Depois do café com muito ovo e cuscuz, tiramos uns retratos com Neinha (Pousada do Beiral), agradecemos a acolhida e colocamos as bicicletas na areia. No começo tava um pouquinho fofa, mas depois ficou bem durinha, até parece que tomou viagra.
Jadson e Roberto Carlos seguiram na frente na saveiro e foram pelo asfalto até Upanema. O plano era deixar o carro lá, voltar pedalando e encontrar o grupo no caminho.
O outro carro dirigido por Suzi e tendo Guilherme Lima ao lado nos seguiu pela beira da praia. Passamos pela praia do Cristóvão e lá no alto de um morro avistamos um cemitério. Lembrei de imediato de uma passagem do livro de Miguel Dantas em que ele afirma: “O local onde se tem a mais linda vista panorâmica da Praia de São Cristóvão está reservada para a morada dos mortos”. De fato o local é privilegiado, mas vou preferir morar aqui em Nova Parnamirim mesmo.
A próxima praia é a da Redonda e tem esse nome em razão de sua forma arredondada, é lógico. Também é um local muito bonito. Chamou a atenção o pequeno número de veranistas, mas todos estavam curiosos com nossas presenças e acenavam sempre que passávamos.
A próxima parada foi em Morro Pintado. O pessoal que ia na frente escolheu uma bodega na beira da praia para nosso lanche. Lá conhecemos o proprietário, seu Faustino (Pai Véi), que nos vendeu a coca-cola mais gelada de toda viagem. O homem cobrou o preço justo e em nenhum momento quis levar vantagem diante dos viajantes sedentos. Valeu Pai Véi!!!
Deixamos Morro Pintado, passamos por uma tal de Baixa Grande e logo chegamos em Upanema. Aqui foi necessário deixar um pouco a beira da praia e adentrar no povoado em busca do restaurante “Chico do Marisco”, local previamente agendado por Magal das Praias para o nosso almoço. O restaurante é um verdadeiro oásis no meio do deserto. Explico: assim que você deixa a praia e entra em direção ao povoado a vegetação que surge é típica de caatinga, tornando o ar seco e quente. De repente o restaurante surge em meio a umas algarobeiras. É tudo muito diferente e arretado.
Apeamos das bicicletas e ficamos fazendo hora enquanto a comida era preparada. A conversa correu solta e todo mundo estava bastante descontraído, pois o nosso destino final estava bem pertinho. O almoço foi servido e parece que foi proposital: foi a melhor refeição de toda viagem. Era peixe de todo tipo e quando todo mundo achou que tinha terminado o homem arrochou na carne de sol com macaxeira frita. Fui lá na cozinha dizer ao homem que parasse de servir, pois senão o pedal encerraria ali mesmo.
Deixamos o restaurante no sol das 12h30min e logo alcançamos o asfalto de acesso ao Município de Areia Branca. Passamos por uma das ruas principais da cidade e logo chegamos ao porto. Embarcamos na balsa e em poucos minutos já estávamos em Grossos.
Restava agora pedalar até Tibau e aqui as duas opções estavam disponíveis, pois o asfalto é muito próximo da beira da praia. Todo mundo de bucho cheio, mas a vontade de chegar era grande. O vento ajudou e chegamos em Tibau sem muita demora.
Mais uma vez tivemos sorte e fomos bem acolhidos. Desta feita nosso anfitrião foi Saulo, que abriu as portas da Pousada Beijo Mar e nos permitiu uma mesa de frutas, água gelada, banho pessoal e lavagem das bicicletas. Soubemos que ele é cicloturista, conhecendo bem o que é viajar de bicicleta. Tal recepção coroou nossa viagem e representou bem o espírito de solidariedade que pregamos.
Em pouco tempo todo mundo já estava pronto. De Mossoró veio um carro (providência de Alex Polary e Magal das Praias) fretado para levar 15 ciclistas e 11 bicicletas. O motorista (Carlinhos) demonstrou bastante profissionalismo, guardando as bicicletas com bastante cuidado.
Depois de todo mundo já pronto para embarque fizemos um breve agradecimento e seguimos nosso rumo. Para nossa surpresa André da Bicicletada resolveu continuar viagem. Explicou que era um sonho antigo e tinha como obrigação continuar pedalando pelas estradas do RN. Seguiu para Mossoró e amanhã vai no rumo de Pau dos Ferros. Boa viagem companheiro, leve com você o espírito do Rapadura Biker.
Às 21h30min chegamos em casa e agora é hora de curtir as fotografias e relembrar os bons momentos que passamos juntos.
Obrigado Rapaduras e espero encontrá-los na próxima.

DADOS DO PEDAL:

Quantidade de ciclistas: 21 ciclistas.
Pessoas nos carros de apoio: 02.
Hora de saída: 08h30min.
Hora de chegada: 14h00 min.
Distância percorrida: 57 Km, sendo 3,5 Km de balsa (Areia Branca-Grossos).

AGRADECIMENTOS: 

- Ao bom Deus por mais um dia superado;
- Aos que pedalaram com o Rapadura Biker;
- Miguel Dantas, por ter nos inspirado com seu livro "Praias Potiguares";
- Aos que acompanharam nos carros;
- Radiocom, na pessoa de Edimar, pelo empréstimos dos radios tão utilizados e importantes durante toda viagem; 
- Renato Magalhães (Magal das Praias) e Alex Polary pelo apoio prestado;
- Pousada do Beiral, na Ponta do Mel, na pessoa de Neinha, pela acolhida e profissionalismo;
- Toca do Pai Véi (seu Faustino), pela coca-cola mais gelada da viagem todinha;
- Prefeitura de Areia Branca, na pessoa do Prefeito Manoel Costa Neto - "Souza";
- Restaurante Chico do Marisco, na pessoa de Arlindo, pela simpatia;
Lúcia Rocha, Assessora de Comunicação do Município de Tibau que preparou a acolhida na cidade;
Prefeitura de Tibau, na pessoa do Prefeito Rafael Freire; e
- Pousada Beijo Mar (Tibau), na pessoa de Saulo, pela acolhida.
Trajeto entre Ponta do Mel e Tibau: 57 Km.
Escada de acesso na Pousada do Beiral.
A Toca do Pai Véi: é ai que é ai.
Chico do Marisco: Upanema.
Pousada Beijo Mar: Tibau.
Raimundão na Pousada Beijo Mar.

Postar um comentário