27/11/2010

A "ciclovia" da Via Costeira de Natal/RN

No último dia 25 de novembro de 2010 o Grupo de Ciclismo Rapadura Biker, juntamente com o pessoal da ACIRN e do Grupo Bike Tirol, resolveu conferir como ficou a intitulada "ciclovia" da Via Costeira.
De início é necessário dizer que segundo o site do Governo do Estado do Rio Grande (http://www.rn.gov.br/imprensa/noticias/duplicacao-da-via-costeira-estara-concluida-em-maio-deste-ano/335/) as obras de duplicação da Via Costeira importaram na cifra de 11 milhões de reais, sendo que 3 milhões somente para urbanização e calçadão, ou seja, a "ciclovia".
Ao entrarmos na "ciclovia" a expectativa era grande, pois passando de carro tive a impressão que seria bom pedalar ali.
Ah, ledo engano! Tão logo adentramos na "ciclovia" os problemas começaram a ser detectados, de forma que são facilmente enumerados: a) não existe nenhuma sinalização indicando que ali tem uma ciclovia, nem tampouco distâncias; b)as árvores invadem o trecho destinado aos ciclistas; c) as paradas de ônibus foram colocadas no meio da ciclovia; d) em alguns setores não existe proteção do lado direito e qualquer descuido pode proporcionar um acidente sério, pois o barranco é grande; e) algumas plantas são espinhosas e pontiagudas e ficam esperando uma queda para encher o ciclista de furos; f) tem um local que tem uma espécie de exaustor, trazendo um calor horrível de dentro de um dos hoteis, jogando toda a "quentura" no ciclista; g) péssima iluminação em alguns trechos; h) falta de placas nas entradas dos hoteis; i) carros estacionados no meio da ciclovia. Enfim, uma demonstração clara de como queimar o dinheiro público. Perguntei ao policial militar que estava de serviço no posto se era comum o fluxo de ciclistas e ele disse que "muito raramente" passava alguém de bicicleta.
De tudo isso resta um sentimento de incompreensão e algumas perguntas: Como é que uma cidade que tem um espaço daquele não tem ninguém qualificado a fazer um projeto digno e totalmente adequado aos conceitos mais básicos de mobilidade urbana? Como uma cidade que pretende sediar jogos da Copa do Mundo não atentou para o fato de que ali é um dos cartões postais de Natal, sendo a inevitável via de acesso para todos que vierem nos visitar?
A inferência que se apresenta é que o projeto foi feito por alguém que nunca pedalou na vida, ou se pedalou, tem profunda raiva dos ciclistas.
Percebi na maioria dos colegas o mesmo sentimento, mas também ouvi de alguns que não mais utilizariam a "ciclovia" da Via Costeira.
Penso diferente. Pessoalmente não vou desistir da Via Costeira. Vou continuar pedalando por lá e fazendo de tudo para chamar a atenção para que algo seja feito, ao menos para amenizar o problema.