14/06/2011

De bicicleta na Câmara Municipal de Natal

Todo poder emana do povo e em seu nome será exercido" (Constituição da República do Brasil).


Hoje o movimento dos ciclistas do Rio Grande do Norte marcou mais um ponto.
Tudo foi organizado em pouco tempo, mas nada impediu que em plena noite de segunda-feira mais de 100 (cem) ciclistas vindos de todas as partes da cidade "invadissem" de forma ordeira e pacífica o Palácio Frei Miguelinho, prestando solidariedade ao grupo de ativistas que ali estão acampados em busca de um objetivo comum: transparência na administração pública de nossa querida cidade do Natal.
O que ensejou o deslocamento de tantos ciclistas (ACIRN, Bicicletada, Bike Tirol, Rapadura Biker, Mundial Ciclo, Satélite Bike, Santana e outros que pedalam sozinhos) foi um sentimento de solidariedade e de apoio a uma causa que atende aos anseios do povo.
Ninguém melhor do que o ciclista para reconhecer o quanto nossa cidade vem sendo abandonada. Somos testemunhas oculares da má conservação de nossas ruas e do passeio público. Protagonizamos todos os dias as agruras de um trânsito caótico e que somente objetiva arrecadar fundos por intermédio de multas questionáveis. Vivenciamos as agonias dos que necessitam dos serviços básicos de saúde pública e são abandonados em corredores ou filas intermináveis. Sabemos por meio da mídia e dos reclamos dos ciclo-professores que a educação continua capenga e sem valorizar os seus profissionais e os alunos.
Por tudo isso e muito mais é que tiramos os nossos capacetes e óculos e resolvemos mostrar a cara, como aliás deveriam fazer os nossos governantes.
Se somos obrigados a exercer o direito de voto, devemos também ter a obrigação de exercer o "desvoto". Se a população foi às urnas e elegeu alguém que esqueceu seus compromissos, essa mesma população tem a obrigação de vir às ruas desconstituir o seu ato, exigindo que o mau governante volte para o lugar de onde veio e do qual nunca deveria ter arredado o pé (ou será a pata?).
Ciclista não quer somente ciclovias, pois antes de tudo somos cidadãos. Queremos o pacote completo: saúde, educação segurança, probidade e acima de tudo o direito de reinvidicar, sem que a polícia necessite ser acionada para retirar o cidadão de sua própria casa.
Se você pedala e por algum motivo justo não compareceu ao "ato ciclístico reinvidicatório" de hoje, não desanime. Estamos apenas começando. Muitas lutas ainda serão travadas e precisaremos utilizar todas as marchas para vencer os obstáculos.
Ciclovias já!!! Probidade administrativa para ontem!!!






















Postar um comentário