23/03/2011

Sekiji Yoshida: um japonês pedalando pelo mundo

Em outubro de 2009 estava fuçando em um grupo de discussão sobre cicloturismo quando me deparei com um pedido de apoio a um ciclista japonês que passaria por nossa cidade. De imediato disponibilizei o meu e-mail, bem como telefone para contato. Não demorou muito e chegou na minha caixa postal uma mensagem em português do japonês Sekiji Yoshida, indagando se poderia conseguir hospedagem para ele por aproximadamente quatro dias. Confirmei e pedi apenas que ele me mantivesse informado. A partir de então as mensagens foram constantes.
No dia 1º de novembro Sekiji informou que estava em João Pessoa-PB e estava saindo com destino a Natal-RN, pelo litoral. Quando fui dizer o melhor modo de chegar em minha residência o japonês interrompeu educadamente e disse: você poderia passar as coordenadas (latitude e longitude) de sua casa? Respondi que sim e enviei as informações solicitadas.
Não demorou muito e no dia 03 de novembro recebo uma ligação no celular. Era Sekiji e disse que chegaria provavelmente no final da tarde. Fiquei em casa esperando novo telefonema, pois na minha cabeça o cara ia ter dificuldade de encontrar meu antigo endereço, pois tudo que é carteiro e entregador de pizza da cidade cansou de reclamar de como era difícil chegar lá em casa. Às 18h00min o meu telefone tocou: "Benilton, é Sekiji". Fala cara, onde você está? É só dizer que eu vou ao seu encontro. Resposta: estou na calçada de sua casa, você pode abrir o portão. Corri pra fora e quando acionei o controle remoto o homem estava sentado na calçada e a sua bicicleta devidamente estacionada. Entramos e fomos tratar de coisas úteis e provavelmente esperadas por ele: banho e jantar.
Enquanto o japonês fazia o seu asseio e já aproveitava para lavar a roupa suja eu fui afastar um pouco a bicicleta dele para deixá-la melhor estacionada. Qual não foi a minha surpresa, pois o peso era incrível: aproximadamente 65 Kg, mas também tinha todo tipo de tranqueira em cima da bicicleta, a saber: fogareiro, barraca, painel de energia solar, porta garrafas de dois litros, alforges na frente e na traseira, bandeira, comida, notebook, gps, máquina fotográfica profissional, roupas, ferramentas e muitas outras coisas que não lembro. Fiquei imaginando como um cabra daquele tamanho (aproximadamente 1,50 mt) e tão magro (uns 50 Kg) conseguia pedalar tanto com aquilo tudo.
Fomos jantar e descobri que o danado do japonês come mais do que Well de Shirley. Além de comer muito, ele come devagar. Queria experimentar de tudo e o que não conhecia perguntava o que era e depois mandava pra dentro.
Outra surpresa foi com a fluência dele na língua portuguesa. A explicação: saiu do Japão e ao entrar nos Estados Unidos aprendeu o inglês, mas não fala muito bem. Ao chegar ao México aprendeu o espanhol, que foi uma porta de acesso ao português. Ele prestava muita atenção ao que nós falávamos e às vezes pedia para repetir uma palavra. Não demorava muito e ele já estava usando aquela palavra.
Por opção nossa e para deixá-lo mais à vontade preparamos a  casa na praia de Cotovelo para hospedá-lo. Claudia foi logo cedo e tratou de tudo: faxina geral, roupa de cama e banho limpas, geladeira abastecida e papel higiênico suficiente pra limpar até a bunda da mulher melancia, o que dizer então da bunda xoxa do japa.
Fui deixá-lo à noite, com o compromisso de buscá-lo no dia seguinte para procurarmos conserto para uma das coroas de sua bicicleta. Cheguei na hora marcada e o japonês já estava pronto. Começamos um périplo por todas as lojas de bicicleta de Natal e depois de muita luta quem resolveu o problema foi Rogério Miséria, cabra muito simpático, que tem uma bicicletaria na Zona Norte.
Quando anoiteceu levamos o japa para pedalar na Rota do Sol e conhecer os demais integrantes do Rapadura Biker.
No dia seguinte começaram os preparativos para a continuidade da viagem: Sekiji senta na frente do notebook e revisa toda sua rota. Faz algumas perguntas sobre o melhor caminho, mas mesmo diante dos meus conselhos acerca de qual a melhor opção ele resolve seguir o seu planejamento.
Conversamos muito sobre suas experiências de viagem e para nós foi muito gratificante.
No dia marcado para a saída de Sekiji sugeri a ele que dormisse em Natal, pois assim ele já ganharia tempo, evitando ter que passar novamente pela Rota do Sol, por onde ele chegou. Depois de muita hesitação ele concordou em dormir lá em casa, porém com uma condição: não dormiria dentro de casa para não tirar o conforto de ninguém da casa, nem tampouco para não incomodar na hora que acordasse logo cedo. Insisti, Claudia insistiu, os meninos insistiram e até Ana Lúcia que trabalhava aqui em casa também insistiu, mas o japonês fincou o pé e somente sossegou quando em armei uma rede no alpendre. Respeitei e admirei.
Às 06h00min da manhã Sekiji estava pronto para partir. Ofereci-me para deixá-lo fora dos limites da cidade, evitando assim o trânsito intenso na Zona Norte. A resposta foi: obrigado, mas eu cheguei pedalando e vou sair pedalando. Mais uma vez respeitei e admirei.
Fiquei acompanhando a sua saga pela Internet e quando ele chegou nas proximidades da Venezuela eu perdi o contato.
 Com os recentes acontecimentos do Japão comentamos aqui em casa sobre Sekiji e hoje ao abrir minha caixa postal recebi notícias dele. Tá tudo bem e a viagem continua, desta feita na África.
Vai com Deus Japonês!!! Espero um dia fazer algo parecido.
Segue a mensagem recebida hoje:

Oi a todos! Perdoe-me por não escrever ou responder-lhes muito tempo. Eu 
estava psicologicamente mal e queria ficar sozinho, sinto muito.
Primeiro acima de tudo tenho que fazer claro de que eu e toda minha 
família está bem no Japão e graças a Deus não temos qualquer 
inconveniente nem estamos em perigo de desastre do terremoto que ocorreu.
Eu voei a Europa no final do ano e eu estou fazendo jornada na África 
neste momento. Tinha perdido a paixão original, mas eu vou ficar na 
estrada um pouco mais tempo. Então, visite-me a minha página para você 
saber onde anda eu ainda que eu imagino que não será capaz de atualizar 
com freqüência. Meus melhores desejos a todos!

Por favor não me envie mensagem nem fazer pedido de amizade em qualquer 
SNS como Facebook, Orkut, etc ... Eu não consigo transar com eles, não 
posso ter boa conexão de Internet em aqui. Obrigado por sua cooperação.

Video Letter from Sekiji vol.1
[HD] http://www.youtube.com/watch?v=ZTBdJI1oNjA&hd=1
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário