09/05/2011

Barra de Cunhaú:

O desafio do final de semana era pedalar por um longo trecho da BR 101 após a sua duplicação. A pretensão era experimentar duas coisas: pedalar quase o tempo todo contra o vento e constatar o nível de segurança de pedalar no acostamento da rodovia.
Assim que o multimídia Carlos Camboim (que além de atuar em diversos campos profissionais ocupa também a presidência do Bike Tirol, o setor de relações públicas da ACIRN e é embaixador de Recife em Natal) falou sobre a possibilidade de fechar um pacote na Pousada do Forte e fazer um passeio de barco em Barra de Cunhaú, imediatamente acatei o projeto e pedi a anuência dele e de Haroldo Mota para colocar o passeio como sendo um evento da ACIRN.
A organização foi quase toda virtual. Ouvi dizer que Camboim enviou num único dia quinhentos e vinte e cinco e-mails convidando ciclistas para a empreitada. Ligações telefônicas foram incontáveis. Avisos pessoais foram mais de mil e quinhentos.
Tudo organizado, restava agora tão somente pedalar até o destino traçado.
O sábado amanheceu com "cara de chuva" e assim que coloquei os pés no chão o telefone tocou. Do outro lado da linha Pedrinho Brito informou que estava no hospital em razão do seu enteado Felipe ter sentido umas dores nas tripas, merecendo assim uma avaliação mais detalhada. Disse que aguardaria o parecer do homem de branco e somente então decidiria sobre sua ida até Barra de Cunhaú. Desliguei o telefone e logo o danado tocou novamente. Agora foi a vez de Haroldo Mota informar a impossibilidade de nos acompanhar no passeio, tendo em vista um imprevisto de última hora.  Quando achei que o telefone ia ficar quieto o danado tocou outra vez: era o Ministro Afonso Severo informando que estava saindo de casa no pedal e logo estaria encontrando o grupo. Já estava prestes a jogar o telefone fora quando Claudia Celi lembrou que iria precisar dele na viagem para manter contato com a prole.
Às 05h15min saímos de casa Claudia Celi e eu e pedalamos até o Posto Emaús. O clima tava agradável e a cidade ainda dormia.
Chegamos no posto e com pouco tempo foi juntando gente. Primeiro chegou Júnior Verona, acompanhado do casal Genival e sua Claudia. Logo empós chegou Pedrinho e Doutora Deise, que vieram tão somente assistir ao momento da saída e desejar boa viagem a todos. O carro de pedrinho tinha bicicleta pendurada em todo lugar, parecia mais um caminhão paquistânes. Contei rapidamente e acho que tinha pra mais de quatorze bicicletas em cima do carro. É isso que ocorre quando se tem família grande.
Aos poucos os ciclistas foram chegando: Camboim e os Tiroleses, Serginhos e os Rapaduras e, por fim Neide do Gás e André da Bicicletada.
Logo na saída o pneu da bicicleta de Genival baixou, mas rapidamente foi resolvido.
Tiramos a fotografia oficial e nesse momento vem chegando sozinho e sorrateiro o Ministro Afonso Severo. Fomos embora.
No caminho Afonso pergunta por Marquinhos Forrest Gump e somente então me dei conta que o homem não tinha chegado. Quando alcançamos o viaduto de Parnamirim o pneu da bicicleta de Kathy furou e de imediato apareceu um monte de ciclocavalheiros para fazer o reparo. Contei assim de relance uns quinze caboclos ao redor da bicicleta. Pra completar a ruma quem chegou naquele momento foi Marquinhos Forrest Gump e já tratou de explicar o motivo do seu atraso: Foi culpa de Estela (o homem emborcou umas cervejas Stella Artois na noite anterior) e foi dormir devidamente anestesiado.
Passamos por Parnamirim e assim que saimos da cidade recebi via rádio o comunicado de que outro pneu da bicicleta de Kathy baixou. Paramos então para aguardar e aproveitar para reunir o grupo. No local em que paramos tinha uma placa indicativa de um motel e Angelike teve a perspicácia de observar que a seta "pintada" na placa era bastante peculiar, parecia mais um míssil apontando o caminho do estabelecimento. Diante daquela cena Moab não hesitou e tratou de ser fotografado junto à placa, possibilitando assim ao leitor ver com os próprios olhos a seta preta.
Reagrupados fomos em frente. Chegando no Posto da Polícia Federal quem já estava esperando na sombra eram Márcio Leite e o esposo de Gorete. Os dois tinham ligado o turbo na saída e não deixaram nem rastro.
Entramos em São José de Mipibu-RN às 07h40min e fomos direto para o prédio da Secretaria Municipal de Saúde. Ali fomos recepcionados pela secretária Solane e integrantes de sua equipe. A expectativa era apenas de um ponto de apoio com frutas e banheiro limpo para as meninas, mas Doutora Solane foi além e preparou uma linda mesa, forrada com toalha branca e tudo, contendo um banquete: pão, bolos, frutas, leite, suco, achocolatado e água gelada. Tudo muito organizado e gostoso. Como diz o nosso amigo Mulatinho: "uma riqueza". Agradecemos a acolhida e ouvimos as palavras de boas vindas de Solane, esclarecendo que faz parte da política da Secretaria incentivar o esporte, inclusive sendo pioneira no Nordeste na criação e efetivação de academias públicas, em pleno funcionamento na cidade. Despedimo-nos e tomamos rumo, pois ainda estávamos no meio do caminho. Nesse ponto Márcio Leite e Serginho voltaram em razão de compromissos assumidos em Natal.
Apontamos os guidões para Goianinha-RN e seguimos firmes pela BR 101, sempre seguidos de perto por dois carros de apoio. O primeiro com Revoredo e seus dois filhos. O segundo com Anderson e Guilherme Lima.

Chegamos às 10h00min em Goianinha e fizemos uma parada na sombra para abastecer as garrafinhas e checar se todos estavam bem. Aqui foi a vez de André da Bicicletada deixar o grupo e retornar para Natal em razão de compromisso profissional. Quando nos preparavámos para seguir viagem quem apareceu foi Eduardo Campos e Neto Palhares, vindos de Barra de Cunhaú e fazendo o percurso inverso ao nosso. quem também chegou nesse momento foi seu Cuca (também conhecido como Romualdo) e sua filha Aimê, aproveitando para conduzir Luan de carro, pois ele já tinha pedalado muito (parabéns garoto). Fotografias e resenhas e vamos embora. Já tínhamos superado mais da metade do trajeto.
Adentramos em Canguaretama-RN por volta das 11h30min e na entrada da cidade nos aguardava a senhora Adriana, Secretária Municipal de Turismo, munida de um carro de som, carro batedor e uma carrada de fogos de artifícios. Foi rojão que só a bexiga. Entramos na cidade com muita pompa. O cenário era mais ou menos assim: na frente um carro utilitário da Prefeitura com um Galego na carroceria, fumando um cigarro atrás do outro e soltando foguetões com força. Logo a seguir o pelotão de ciclistas acenando e cumprimentando os moradores da cidade. Após as bicicletas um carro de som do tamanho do mundo, tocando músicas do U2 para o delírio do Ministro Afonso Severo. Fechando a caravana os carros de apoio.
Tudo foi obra de um contato feito por Haroldo Mota, que é mais articulado do que boneco de Olinda. Fomos guiados até o prédio da Prefeitura (um casarão antigo muito bonito, tal qual o da Secretaria de Saúde de São José de Mipibu) e ali outra mesa farta nos aguardava. Nova sessão de frutas, sucos e água geladinha. Tudo preparado no capricho. Agradecemos em nome da ACIRN, ouvimos as palavras da Secretária, inclusive registramos a promessa dela que da próxima vez vai pedalar conosco no trecho até Barra de Cunhaú. Registramos tudo em foto e fomos embora com mais gente integrando o grupo (Vitória, Lúcia e outras colegas).
Necessário registrar que na ausência do Papa Neto Palhares quem assumiu o posto foi Genival, pois bastou entrar em Canguaretama para sofrer uma queda e beijar o chão, levando junto uns três.
Nos 15 Km restantes para chegar ao nosso destino o carro batedor continuou guiando o grupo e o Galego soltava um foguetão de cinco em cinco minutos. O homem tinha munição para enfrentar um exército.
O tempo tava nublado, o asfalto bem conservado e o movimento de carros pequeno, de forma que chegamos na entrada da Barra de Cunhaú às 13h15min, um pouco além da hora prevista, mas tudo dentro dos conformes. Desta feita foi a vez de Alda e Fernandinha integrarem o grupo.
Entramos na Barra ao som dos foguetões do Galego e constatamos desde logo que as águas do rio estavam muito escuras, indicando muita chuva na Paraíba, fazendo com que o Curimataú encaminhasse suas águas turvas para o Atlântico.
Na Pousada do Forte cada um tomou o seu lugar. Hospedados, tratamos de relaxar na piscina e esperar a hora do almoço. Quando iniciamos a refeição quem adentrou o restaurante foi Pedrinho Brito, Deise, Pedro Augusto, dona Marlene e seu Itamar, um casal extremamente simpático que veio abrilhantar nosso final de semana. Mais um pouco chegaram uns parentes de Kathy que também almoçaram conosco. Um pouqinho mais de tempo foi a vez do nosso Jorge Tadeu, também conhecido por Luciano Cambraia, juntar-se a equipe com sua esposa Bela e o filho Lucas. Registro que Vanda e Shirley voltaram de ônibus para Natal e segundo soube esta partiu muito triste, explico: a filha de Revoredo trouxe para Barra de Cunhaú um chapéu provavelmente oriundo da cerimônia de casamento de Bil e Katinha (o príncipe William e Kate Midletton), desbancando assim o tradicional "chapeau" de Shirley.
Seguimos então às 15h30min para o passeio de barco na Barra de Cunhaú. Cenário muito bonito, com direito a visitação no mangue e passeio na praia.Tivemos até uma aula sobre o método de procriação entre os caranguejos, descobrindo que o macho possui dois pintos e a fêmea duas perseguidas. A piroca dupla do bicho vive em constante ereção e cada relação sexual dura aproximadamente cinco horas, no entanto, o bicho somente molha o biscoito umas três vezes por ano. Assim sendo, prefiro eu com a minha seta.
Voltamos ao hotel e cada um tomou o seu rumo. Alguns foram repousar nos apartamentos, ao passo que outros ficaram no bar molhado até uma horas. Teve de tudo nesse bar molhado: Afonso trouxe um "aí pode" de Natal que mais parecia uma bazuca e quando deu na tomada o troço fez valer a aparência e explodiu, deixando o homem sorumbático e taciturno. Teve ainda um curso intensivo de carimbó ministrado pelo "personal dancer" Júnior Verona, sem falar que fechou a cozinha do hotel e quem salvou a noite foi um pedaço de queijo gorgonzola e um tubo de presunto de peru defumado que estava guardado na mala do meu carro desde o reveilon.
No outro dia no café da manhã tive a notícia de que Márcio (que não é o Leite) sentiu uma dor na perna e teve fila de tirolesas para cuidar do homem. Esse nunca mais vai perder um pedal e toda vez que chegar no destino vai dizer que tá contundido.
Acertamos as contas e cada um tomou sua rota. Segui com minha família e a de Pedrinho pelo Chapadão de Pipa, almoçamos em Tibau do Sul, comemos a sobremesa em São José de Mipibu e chegamos em casa com tempo sobrando de ouvir pelo rádio o ABC ser bicampeão estadual. Fechou com chave de ouro o final de semana.
Trajeto efetuado

Concentração no Posto Emaús

Parada após Parnamirim-RN

Moab apontando a "seta"

Com Solane e sua equipe em São José de Mipibu

Secretaria de Saúde de São José de Mipibu

Goianinha: encontro com Eduardo e Neto

Entrada em Canguaretama

Apoio em Canguaretama

Com a Secretária de Turismo de Canguaretama: Adriana

Chegada em Barra de Cunhaú

Pra ninguém dizer que é mentira.

O caranguejo de duplo pinto.

Fim de tarde na Barra