15/01/2011

Viagem do Elefante: 10º Dia - Acari-Santa Cruz

A noite no Gargalheiras foi maravilhosa. Foi bonito ver um dos alpendres da casa de Pedrinho do Cartório totalmente repleto de redes, Não bastasse isso fui agraciado com um prêmio melhor do que a mega sena do milhão: o dono da casa cedeu para mim e Claudia o quarto dele, com direito a ar-condicionado e uma cama maravilhosa. A mulher chegou de Natal com uma maleta carregada de carinho e fez massagem de toda natureza. Pela primeira vez fiquei preocupado se teria fôlego para enfrentar o dia seguinte.
Do alpendre chegou a notícia que Carlos Camboim e Haroldo Motta ficaram jogando conversa fora até 03h00min da manhã e somente ficaram calados após receberem umas ameaças de mortes. Soube que já tinha ciclista querendo fazer uso de umas técnicas de capoeira para afugentar os barulhentos, mas no final tudo deu certo e paz voltou a reinar no reino dos rapaduras. Soube também que houve um assédio de muriçocas, mas no meu quarto esse zumbido não foi ouvido.
Acordamos na hora prevista e Dona Raquel juntamente com seu Edinaldo (acho que ontem escrevi Edvaldo) chegaram cedo para juntamente com Claudia prepararem o café da manhã, que por sinal foi muito robusto: bife do oião, cuscuz, presunto, queijo, pão novinho, bolachinha, diversas frutas e sucos. Suficiente dizer que tinha até limonada, originada de limões colhidos naquela manhã.
Após o café tivemos a intervenção de Pedrinho do Cartório que dirigiu algumas palavras ao grupo acerca da importância do viver em coletividade. Suas palavras foram bastante pertinentes e acredito que para quem prestou atenção e refletiu bem, coube como uma luva em nossa jornada. Não bastasse, Pedrinho resolveu nos oferecer um bônus: o homem abriu uma colméia e todos tiveram a oportunidade de conhecer um pouco sobre a vida em coletividade das abelhas. Experimentamos o pólem e o mel. Foi um momento ímpar da viagem.
Ainda tivemos a oportunidade de conhecer uma exposição fotográfica em painéis que registram a vida do povo do Gargalheiras, inclusive com fotografias da época da construção da  barragem.
Também nos foi oportunizado conhecer o estúdio de trabalho de Pedrinho, que fez um relato das atividades desenvolvidas com jovens da comunidade. Agradecemos com palavras singelas, porém sinceras e caímos na estrada.
Conforme já tinha anunciado na noite anterior o Professor Raimundo disse que a jornada para ele terminaria em Acari, pois tinha compromissos familiares. Foi a primeira baixa dentre os seis que demonstraram interesse em cumprir todo o trajeto.
Até Acari foi um pulo. Começamos então a vencer os 32 Km que nos separavam de Currais Novos. Logo no começo uma subidinha já demonstrou como seria o nosso trajeto diário.
No caminho juntou-se ao grupo o ciclista Paulinho Bala, vindo diretamente de Currais Novos.
Chegamos em Currais Novos por volta de 09h45 e logo na entrada fomos recebidos pela repórter Ananda da Sidy´s TV, juntamente com um cinegrafista. Todos foram entrevistados e manifestaram suas impressões sobre a viagem.
Mais adiante encontramos Babau e Maria, ela irmã de Mazola de Macau, que nos esperavam com água mineral, frutas e gelo.Registramos o momento e fomos em frente.
Mais a recepção não terminou. Quando chegamos no centro da cidade a irmã de André, Vitória Régia, juntamente com Eugênio (que pedala na cidade) e o pessoal da imprensa local, nos aguardava com uma tenda montada com diversos acepipes: sucos, biscoitos, frutas, tabletes personalizados de rapaduras e até doce de caju. Pense numa hospitalidade boa.
Pra completar Pedrinho do Cartório surgiu com um buquê de flores que foi entregue às ciclistas.
Conseguimos sair às 10h30min de Currais Novos e o sentimento de todos era: alegria, agradecimento e bucho cheio, se é que podemos chamar esse último de sentimento.
A saída de Currais Novos foi cruel, mas o pior ainda estava por vir. Até chegar ao ponto máximo da Serra do Doutor foi muito sofrimento para o grupo e somente tivemos êxito em razão do pronto apoio prestado por dois carros em que estavam Pedrinho, Claudia, Camboim e Haroldo Motta.
Quando chegamos no restaurante da Serra encontramos Fabiano da Bicicletada, outro que tem atestado de doido, pois tinha saído de madrugada de Natal para nos encontrar e seguir viagem.
Fabiano lá estava e quem descansava após o almoço era Aleijadinho do Forró, um dos grandes nomes do forró da região Nordeste. O homem é extremamente simpático e nos acolheu com um grandioso sorriso, distribuiu cds autografados para todo mundo, posou para fotos e ganhou de presente uma camisa do grupo. Conhecê-lo foi mais uma surpresa agradável da viagem e também um incentivo para que seguíssemos.
Iniciamos a descida da Serra do Doutor e foi incrível. Vários minutos sem pedalar e chegando a velocidade de 60 Km, mesmo com o forte vento contra.
Chegamos em Santa Cruz somente o bagaço e já era aproximadamente 15h30min. Fomos direto para uma churrascaria e tratamos de repor as energias com comida gostosa e farta.O grupo que continua seguiu para a pousada Nova Aliança, previamente reservada por Claudia e Pedrinho, os quais voltaram para Natal com Camboim e Haroldo.
Miltinho, Vanda e Moab resolveram voltar para Natal e quem também pegou o mesmo trem foi Artur Martins, pois tem um compromisso inadiável. Mais um dos seis desistiu de completar o percurso.
Hoje fomos comer uma massa na Vila de Todos, passamos no centro da cidade e tomamos um sorvete. Encontrei o Batman em uma bicicleta estranha. Pedi para dar uma voltinha, mas o cara não deixou, entretanto, ofereceu a bike por R$ 60,00. Ainda pensei em oferecer dez contos, mas temi que o maluco aceitasse e eu estaria lascado pra levar mais uma bike amanhã.
Vamos agora tratar de dormir pois teremos amanhã aproximadamente 63 Km até Passa e Fica. Estamos com a seguinte composição: André, Fabiano, Gringo, Jean, Jadson, Neide, Serginho e eu. Amanhã Helena vem de Natal para juntar-se ao grupo e mais uma vez teremos o apoio do Pinto até o próximo ponto.
Tá chegando o final. Resta agora Passa e Fica e Barra de Cunhaú. Com a graça de Deus entraremos na terça-feira em Natal e voltaremos para os braços da família e o carinho dos amigos.
Postar um comentário